Reunião com Temer: Aeroporto de Cargas da Serra na pauta

Atuação Destaque Imprensa

A bancada capixaba se reuniu na manhã desta quarta-feira (16) com o presidente da república Michel Temer. Na oportunidade, o deputado federal Sergio Vidigal (PDT-ES) pediu ao presidente que acelere a implantação do Aeroporto de Cargas da Serra para melhorar a logística do Estado.

Vidigal ressaltou ao presidente que a bancada capixaba garantiu R$ 100 milhões para iniciar as obras do Aeroporto de Cargas da Serra na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). O valor foi priorizado pela bancada a pedido de Vidigal. Estudos preliminares avaliaram que o bairro Planalto de Nova Almeida reúne todas as condições favoráveis para implantação do novo aeroporto. A proposta é criar uma Parceria Público Privada (PPP) para realizar a obra.

“Relembrei ao presidente que grande parte do que é produzido no Espírito Santo, como o café e o mamão papaya, não é exportado pelos nossos portos e aeroportos por falta de infraestrutura. O aeroporto de cargas ajudaria a melhorar nossa distribuição logística, tornando o Estado mais competitivo”, afirmou Vidigal.

Vidigal pontuou ao presidente que, estados como o Espírito Santo com as contas em dia, deveriam ser beneficiados pela União.

“Nosso estado perdeu recursos do Fundap, mas mesmo assim manteve as contas em dia, ao contrário dos nossos vizinhos, o Rio de Janeiro. Em contrapartida, deveríamos receber incentivos da União para manter a competitividade”.

 O presidente Michel Temer demonstrou interesse na implantação da obra e pediu atenção especial da Infraero no Aeroporto de Cargas da Serra.

Ferrovia e Saúde

“A bancada capixaba não foi até o presidente criar despesas para o governo federal, mas mostrar as potencialidades do nosso Estado e o que ele tem para contribuir para a economia do país e superar a crise que estamos enfrentando. Levamos pleitos mostrando que não precisa do governo central gastar dinheiro com nada, pois a ferrovia EF118 poderia ser negociada com a Vale que está com a concessão da EFVM, as obras para a BR 262 podem ser feitas por uma concessionária que passe a administrar a rodovia e o aeroporto de cargas da Serra seria uma PPP em que o governo apenas licenciaria as obras e buscasse essa parceria para a construção.

Na área da saúde também fizemos algumas cobranças. Da mesma forma, não queremos dinheiro extra, fomos exigir que o governo pague metade do que é devido ao Espírito Santo com o SUS. Para se ter uma ideia, todos os outros estados da Região Sudeste recebem repasse por procedimento. O nosso Estado segue a política como seguem os estados do Nordeste, por exemplo, em que este valor repassado é menor.